O Amor pela minha filha Luísa!

"Corajosa e Lutadora, tem uma grande necessidade de se sentir aprovada e de agradar a todos. Com estranhos é inibida, mas quando tem confiança é bastante comunicativa. Pode ser arisca e rebelde, mas apaixona-se com facilidade e esforça-se para ter uma relação estável e duradoura, apresentamos ao mundo a nossa filha Luísa".



Total de Visitas do Blog

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Qual é o momento de ter o segundo filho?

   Olá queridas mamães, como estão? Hoje vou falar de um assunto que intriga muitas de nós, mamães de "filhos únicos", afinal, qual é o momento ideal para pensar em ter o segundo filho? Confesso que estou exatamente nesta fase da minha vida, afinal a minha pequena está com 3 anos e a dúvida do melhor momento de fazer o irmãozinho está sendo constante. E porque será que este sentimento ocorre? Vou tentar responder esta questão falando sobre o meu sentimento de mãe :)


   Quando estava grávida da minha filha Luísa, minha primogênita, sonhava em ver o seu rostinho, pegá-la no colo e juntamente com esta imensa vontade de conhecê-la, também desejei que a minha pequena tivesse um irmão/ã e eu planejava engravidar novamente quando a Luísa tivesse 1 aninho, assim, ficaria mais fácil de criar duas crianças pertinho, fases parecidas, aproveitar os brinquedos, roupinhas, mas, assim que ela nasceu, tudo mudou: a minha rotina, alimentação, trabalho, preocupações, alegrias e apesar dela nunca ter me dado trabalho, senti a necessidade de criar um filho de cada vez, aproveitando todos os momentos ao seu lado, curtindo o seu desenvolvimento de pertinho. E assim foi indo, ela foi crescendo, se mostrando uma filha super independente, inteligente, esperta. 
   Começamos a entrar em uma fase maravilhosa, de companheirismo, aonde ela nos acompanha nas nossas viagens, aventuras, bagunças. E quando ela tirou a fralda? Nossa, que liberdade para ela e principalmente para nós, papai e mamãe, que agora podemos sair para todos os lugares sem precisar levar uma imensa "mala" com fraldas, lenços e pomadas. Sobre a comida? Fantástico, nossa princesa come de tudo e não tem frescura, assim fica simples que levá-la para todos os lugares. Festas? Sim, ela ama, nos planejamos, nos arrumamos e curtimos todos juntos até altas horas, rs. E neste cenário todo, eu me lembrei que ainda quero muito ter um segundo bebê, mas e a coragem de começar? Agora a Luísa está crescida e já se vira muito bem, então será que chegou o momento de pensar no segundo filho? Mas, será que eu consigo começar a cuidar de um bebê novamente? E a Luísa, não vai ser deixada de lado? Será que ela sentirá ciúmes? E porquê não ter apenas um filho? Estou sendo egoísta? Pé no chão? Nossa...a minha cabeça está a mil, muitas perguntas e a minha dúvida de ter ou não ter outro bebê está em alta. Tem dia que eu acordo e quero muito, já em outros dias acho que ainda não é a hora. Sem contar que "todos" se sentem no direito que dar suas opiniões, e nos julgam a todo o momento: Você precisa ter outro filho logo, senão você desiste. E o segundo filho, cadê? Tadinha da Luísa não terá irmãos? Enfim, a pergunta que não quer calar é:  E agora, o que fazer?
   Enquanto estou nesta indecisão, a nossa pequena Luísa se diverte só de imaginar na chegada da sua irmãzinha, sim ela já disse que quer uma menina para brincar, mas ela entende super bem, que o momento certo ainda não é certo, rs, e aproveita para continuar curtindo o seu mundo de filha única!
    Acho que muitas de nós, mamães de "filhos únicos" temos medos de termos um segundo filho. Medo de não conseguir cuidar dos dois, de dar a mesma atenção, de saber lidar com os naturais "conflitos", enfim, temos medo de errar na tentativa de acertar. 

    Ao mesmo tempo que todas estas indecisões existem, eu sei como ter um irmão é importante, é maravilhoso. Aprendemos a dividir, sermos menos egoístas e temos um companhia bem pertinho para brincar, chorar, correr e sorrir. Mas também acredito que os filhos únicos, se bem criados e educados, serão excelentes crianças, que aprenderão a dividir, não ser egoístas, através das suas amizades, da convivência com os primos, da turma da escola, por isso, vamos seguir em frente e deixar com que as coisas ocorram naturalmente e se for para ser, será, na hora e momento em que Deus desejar!
   

3 comentários:

  1. Olá,kARLA,tudo bem graças a Deus.
    Então,estou vivendo um momento muito parecido com o seu,tenho,32 anos,e uma filha linda,de quatro anos,Nathália,ultimamente,tenho pensado muito em ter o segundo filho,mas falta coragem de começar tudo denovo,mas confesso que seria muito bom para nossa família,principalmente para minha filha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Elaine, sim...eu também penso muito na minha filha, que já começa a pedir uma irmã, mas é uma decisão difícil, vamos ver o que decidiremos, né? Volte aqui para nos contar, beijos e seja bem vinda!

      Excluir
    2. Obrigada,Ksantos,
      Adorei,seu Blog,voltarei para contar novidades.Beijos e fico com Deus!

      Excluir

Obrigada por participar do meu Blog!